quarta-feira, 13 de outubro de 2010

CALMARIA LÍQUIDA

Apenas um lago,
Dois lados,
Três interpretações diferentes
Quatro estações
Cinco sentidos
Numa sexta-feira festiva
Sentindo-se no sétimo céu
Parecia encontrar a oitava maravilha do mundo
E de repente, depois, da novena
Dez ilusões, e o mundo caiu
E com ele, lágrimas, muitas lágrimas
Centenas de bilhões de lagrimas...
E novamente um lago.

Por: Romildo Sapucaia

terça-feira, 12 de outubro de 2010

SEGUNDO SEGUINTE

Por um segundo,
Me senti eternamente a primeira
Tudo ficou em segundo plano

Depois de você...
Não dá pra esperar nem mais um segundo
Meu coração bate sem compasso
Eu me enlaço dentro dos segundos
Apenas sigo, você me sugando
Ligando, gozando, gargalhando
Nadando, voando... Flutuando

E a vida seguindo, num vai e vem
Como um trem, um monte de vagão
Tudo em vão, tudo tão

É a paixão!
Ardente! Que fogo,
Avassaladora! Um furação!

Queima-me, leva-me, despedaça-me
Que sorvo nessa taça
O perfume-veneno
Do teu corpo-sereno-moreno
A me completar,

No êxtase desse sorriso displicente
Que afaga-me como serpente
A tréplica da vida
De um segundo presente.

 Por: Romildo Sapucaia


quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Rainha Mar

Nesse lago febril
Originado da fonte
De teus lábios azuis
Mergulho nos delirantes
E tenazes prazeres
Do ser, sou servo
Apenas livre pra tuas garras
- Me arranha !
Atira-me em forma de pedra
Fazendo ressonar num puxão
A minha cachoeira capilar
No berço do teu dorso
Onde me acocho,
Tão louco quanto macho
Me ataço do veneno entorpecente
Nem um pouco descente
Desses versos que te fará reinar
Muito em breve no trono
A quem você inspirou
Não tenha tanta pressa
Não jogue tudo fora
Confia em mim agora
Sim, é isso mesmo !
Vem...
Senta aqui !


Por: Romildo Sapucaia

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

CONJUGAÇÃO INFO

E então conectei meu pen drive
Na entradinha usb de sua cpu
E tranferir todos arquivos de meus desejos
Para a pasta de seu coração, e nomeei de esperança

Seu orkut piscou pro meu perfil
E disse:  -  Me acesse
Lembrei de quando te conheci
E no meu msn te adicionei

Todas essas mensagens, e ligações perdidas, valeram a pena. 
Quando tudo se conecta é divino e maravilhoso, sem preocupações
Mas agora que a rede caiu, e a desconexão se fez
Fico imaginando..... quanto tempo..... quanto money......
Caramba... Cara como um MBA

Dentro desse ovo de apê
Tudo é pequeno, até o seu pc
Chamado de Netbook
Pra entrar na rede e ver o mundo

E eu, onde é que fico nessa estória toda ?
Eu tenho banda larga, Tv de Led, e um imenso Hd
Mas eu sinto falta e gosto mesmo é de você
Quando o “eu” mais precisa, ele só tem o “você”.

Por: Romildo Sapucaia 


ESCREVO ESCRIBA ESCRAVO

Escrevo em qualquer gênero
Em qualquer pessoa
Em qualquer tempo

A Escrita é tão Sagrada quanto a Escritura
O suor sagrado de cada dia
O sangue do cordeiro de milênios
As lagrimas dos tempos infindáveis

Não escrevo pra passar o tempo
Não escrevo pra uma pessoa
Não tenho gênero

Por: Romildo Sapucaia

HÁ UMA CASCA DE BANANA NO MEIO DA RUA

Há uma casca de banana no meu da rua
No meio da rua, há uma casca de banana
Algumas pessoas passaram pela rua
Há uma casca de banana no meio da rua

João passou pela rua
Há uma casca de banana no meu da rua
Maria também passou pela rua
Há uma casca de banana no meio da rua

Depois passaram pela rua
Leandra, Sepronia, Climestrivaldo
E até mesmo Dona Bertinadina
E ainda há uma casa de banana no meio da rua

Aquele menino da música de Roberto Carlos
Que ensinou aquela canção
Lalalalalah...Lalalalalah...Lalalalalalaalaaaaa
Ele também passou pela rua
E a casca de banana continua lá

Depois de ler esse texto até quase o final
Eu me retei, fui até essa rua
Peguei a casca de banana e coloquei na lata de lixo
Havia uma casca de banana no meu da rua
Agora ela está na lixeira...

Voltei daquela rua e estava finalizando o texto
Quando percebo que, inacreditavelmente
Há “outra” casca de banana no meio da rua
-Que povinho mal-educado !!!!!!!

Obs: Inspirado em Drummod. E no fato, ocorrido no estacionamento do Extra Supermercados.

Por: Romildo Sapucaia


quarta-feira, 25 de agosto de 2010

OS NÓS DAS COISAS


As coisas tem mãos
As coisas tem pernas
As coisas tem olhos
As coisas tem nariz
As coisas perdem o juízo
As coisas possuem luz

As coisas estão pegando
As coisas estão caminhando
As coisas mudaram de foco
As coisas não estão cheirando nada bem
As coisas estão confusas
As coisas agora ficaram claras

Por: Romildo Sapucaia

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

M's


M de Mulher
M de Menina
M de Mimar
M de Maravilha
M de Mozinho
M de Musa
M de Medusa

M de Muito
M de Mais
M de Meio
M de Mata
M de Molécula
M de Megaton
M de Mundo
M de Magnitude

M de Maia
M de Maha
M de Mito
M de Medo
M de Mestre
M de Música
M de Maestro
M de Mártin

M de Mecânica
M de Mola
M de Movimento
M de Móvel
M de Maca
M de Macaco
M de Macarrão
M de Macacão

M de Moleton
M de Mouse
M de Miau
M de Mudo
M de Mudança
M de Michael
M de Moon
M de Marte

Caminhos Andantes

Como Djavanear
Eu canto no canto de um canteiro
E feito Cigano
Eu vou no vento, sou aventureiro
Tenho um canto em cada canto

Caminhei  da Vitória até a Graça
Fui caminhando
Caminhar é de graça
E fui cheio de graça
Por conquistar essa vitória

Meus caminhos tortos
Meu cabelo duro
Meu sangue latino

Seus conselhos perfeitos
Seu vento leve
Seu ar europeu

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Algumas coisas com todas as letras I


Abraços Apertados
Bocas Bonitas
Cabelos Cacheados
Doces Dicas
Escrita Elegante
Festas Finas
Gesto Gentil
Homens Honestos
Imaginação Infinita
Jaca com Jabá
Kant por Kafka
Laço Lilás
Mulheres Maravilhosas
Noites com Neve
Ópera de Outono
Pedras Preciosas
Queijo Quente
Rito Raro
Sussurros no Silêncio
Tatuagem Tropical
Uva e Umbu
Vasta Vida
Watts da Wallita
Xícara Xadrez
Yin Yang
Zona Zen

Por : Romildo Sapucaia

sábado, 14 de agosto de 2010

Nos Jardins da Paz



Mero esperar de destroços e lágrimas 
No sofrer de uma vida
Rosas cintilantes de palavras brandas
Nos hemisférios dos olhares
Como cansa toda noite
 
Ver na imensidão do céu
O brilho que não vem...

Nas duas noites que o dia possui
A primeira é mais bela
Silenciosa ...
Mama amada , madrugada
Um jardim onde pode-se brincar
Com as gotas de orvalho

E contemplar a paz no brilho sutil das estrelas.


Por: Romildo Sapucaia

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A Faca e a Água


Eu choro , Eu rio

Lâmina Nascente

Barba , Bebê

Jardim, Mar

Chá em Pó

PoMar, ChaMar-Te


Por: Romildo Sapucaia

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

MATA

De Morrer
De Floresta

De Vanessa
De Marisa

No Sobrenome
Em Panis et Circenses*

Por: Romildo Sapucaia

*Canção composta por Gil e Veloso, cantada por Marisa.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O Que está acontecendo ??? (Atualizado)

Nando acha que o mundo está ao contrário
Cássia está certa que não tem explicação
Mamonas diz que o homem é cruel
Legião conceitua a humanidade como desumana
Capital prefere ser mais introspectivo e quase toca o silencio
Engenheiros pergunta: “quanto vale a vida?”
Joyce fala da outra esfera, a encarnação
Brown vê a solução na alfagamabetização
Catedral crê que o amor não pode acabar
Vercillo acredita que TODOS SOMOS UM
Carolina concorda e quer a Unimultiplicidade (by Maisa)
Antunes quer envelhecer e ser chamado de velho gagá
Da Mata pede pra não deixá-la só, pois tem medo do escuro
Camisa chama todos de crianças e diz que isso é só o fim
Seixas deveria está contente, mas confessa estar decepcionado
Djavan quer mais é viver pra esperar e devorar
Gil acredita na fé e canta que ela não costuma falhar
Belchior não está interessado em nenhuma teoria
Elis fala que não vemos que o novo sempre vem
Betânia só leva a certeza de que muito pouco sabe e nada sabe
Elba acha que é o começo do fim ou é o fim
Ramalho diz que o povo contempla essa vida numa cela
Chitãozinho só quer ouvir um “sim”
Calcanhoto quer um segundo mais feliz
Toller acha que o que devemos fazer é, não ter medo
Trio Nordestino disse que o amor não faz mal a ninguém (By Denilson)
Leila não se cansa de pedir pra ser beijada
Marisa só vai voltar quando se encontrar
Fagner passa por aqui lendo o misterioso livro do ser
Lenine pede um pouco mais de paciência (By Maisa)
Rita pede desculpas pelo auê, e diz que perdeu a cabeça
Marina revela que nada de mal nos alcança
Venturini viaja com o disco voador e diz que nada faz sentido nesse mundo


Obs:. Ainda não terminado, aceitando sugestões de cantores, sugiram...
Por: Romildo Sapucaia

Tudo está no GEN


InteliGÊNcia para matar é:

GENocídio ! Sem desculpas. Assim, mesmo cruel é :

GENuíno ! Se todos fossem autênticos com seus sentimentos, imperaria a :

GENerosidade ! Agir assim e criar,em benéfico de todos é ser:

GÊNio ! Esse que possui imaginação, dedicação, raciocínio rápido e:

GENtileza ! Para com seus semelhantes, e ele é:

GENte ! Como aGENte...

O mapa do ser humano é essa coisa de DNA, CÉLULAS, GEN & tais,


GENôma.

Por: Romildo Sapucaia

O Tempo Amoroso da Eternidade



Outro dia passando pela rua um cachorro sorriu pra mim
Então, decide que ninguém mais roubaria meus sonhos...
Aquele bebê que chorava nas noites de trovoada
Ainda mora no meu ser, e consegue ouvir a chuva caindo na telha...
E lembrar da luz faltando, da vela acendendo e da lua no sertão.

Meu caminhar é sereno, meus cabelos não bailam no vento
Minha preguiça é quase eterna, “quase” pelo próprio preguiçar
Não alcançarei os méritos dos heróis, nem chegarei antes da aurora
Oxalá seja aberto o portão dos sonhos antes de minha chegada
O ato de sonhar me faz vivo, com ânsia de realizar mais e mais

Todo o sentido de viver, lá no mundo dos abraços
Na singela silhueta das lágrimas das almas
Meu canto ecoa nos seus lábios
Pétalas de sonetos no deserto
Como violinos pardos, dançantes no tempo
Sorriso de agradecimento após infinita espera

Amanhã o céu estará azul, ou cinza, quem sabe !
O crepúsculo é lindo, de lá do farol da barra.
Com a infinidade de cores de uma bola de sabão
Tão transparente, tão leve, tão frágil e tão Tao
O ar vai mais profundo, quando mais devagar inspirado
O amor é, sem ter nó, quando tem pó, sem pré...
O amor é sempre eterno, o tempo que o diga.

Por: Romildo Sapucaia